PPGBTC PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOCIÊNCIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/ppgbtc

Banca de QUALIFICAÇÃO: GISELLE DA SILVA PEDROSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GISELLE DA SILVA PEDROSA
DATA : 19/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: sala 301, 3º andar, Bloco B, Campus SA da Fundação Universidade Federal do ABC, localizada na Avenida dos Estados, 5001, Santa Terezinha, Santo André, SP
TÍTULO:

COMPOSTOS ORGÂNICOS VOLÁTEIS DE ESPÉCIES VEGETAIS PRESENTES NOS REMANESCENTES FLORESTAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 


PÁGINAS: 87
RESUMO:

As florestas urbanas emitem compostos orgânicos voláteis biogênicos (COVBs) para atmosfera e essa emissão pode ser induzida por vários fatores bióticos e abióticos que causam estresse oxidativo na vegetação levando a um aumento na taxa de emissão desses compotos. Em relação aos fatores abióticos, destacam-se as temperaturas extremas e poluição atmosférica. A Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) é conhecida como uma das regiões mais poluídas e os seus remanescentes florestais são constantemente impactados e em resposta a esse impacto devem fortemente contribuir com o aumento da emissão de compostos orgânicos voláteis biogênicos para atmosfera. Nesse contexto, o presente estudo visa caracterizar a emissão dos voláteis de espécies vegetais mais abundantes de dois fragmentos florestais de Mata Atlântica, i) apresentar as características florísticas e climáticas de cada local de estudo; ii) investigar o perfil sazonal dos COVBs presentes na atmosfera dos remanescentes florestais da RMSP se são dependentes da condições meteorológicas e/ou dos poluentes e.g. ozônio. Os locais de estudo foram a Reserva Florestal Morro Grande (RFMG), Cotia, São Paulo e o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), São Paulo. As amostragens da atmosfera foram realizadas quinzenalmente ao longo de 18 meses. Já as amostragens da foliar, foram realizadas no período seco e úmido. Os COVBs coletados foram analisados por cromatografia gasosa (CGMS), identificados e separados por quatro classes (oxigenados, monoterpenos, sesquiterpenos e outros compostos). Os perfis de emissão entre as classes dos voláteis de origem foliar apresentaram perfis diferentes devido às características sucessionais das espécies e o microclima de cada região. Em relação às taxas de emissão foliar, o período seco teve altas taxas de emissão e um número maior de compostos, sugerindo que as diferenças na temperatura e umidade são os fatores atuantes nas mudanças do perfil de emissão desses compostos. Em relação aos COVBs encontrados na atmosfera, a RFMG apresentou maiores concentrações de compostos comparados ao PEFI para a classe dos monoterpenos no período úmido. Destacando os compostos D-limoneno e cis-p-menta-1,7(7),8 dieno-2-ol encontrados em altas concentrações nas duas regiões no período úmido. Altas concentrações de O3 e NOx foram maiores no período seco. Análises estatísticas multivariadas entre os poluentes e os voláteis emitidos estão em andamento e serão apresentados futuramente no trabalho final da presente tese. Sendo assim, as conclusões finais desse trabalho ainda estão em andamento. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - Interno ao Programa - 1600878 - ARNALDO RODRIGUES DOS SANTOS JUNIOR
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - PÉROLA DE CASTRO VASCONCELLOS
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - REGINA MARIA DE MORAES
Membro Suplente - Examinador(a) Interno ao Programa - 1941387 - FERNANDA DIAS DA SILVA
Membro Suplente - Examinador(a) Externo ao Programa - 2887832 - ANSELMO NOGUEIRA
Membro Suplente - Examinador(a) Externo à Instituição - CÉLIA REGINA PESQUERO
Notícia cadastrada em: 20/01/2020 23:26
SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa-2.ufabc.int.br.sigaa-2