PPGBTC PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOCIÊNCIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/ppgbtc

Banca de DEFESA: FERNANDO AUGUSTO DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FERNANDO AUGUSTO DE OLIVEIRA
DATA : 11/02/2020
HORA: 13:30
LOCAL: Auditório, 8º andar, Bloco B, Campus SA da Fundação Universidade Federal do ABC, localizada na Avenida dos Estados, 5001, Santa Terezinha, Santo André, SP
TÍTULO:

INVESTIGANDO A NANOBIOINTERFACE: AVALIAÇÃO QUANTITATIVA, DINÂMICA E ESTRUTURAL DA ADSORÇÃO DE PROTEÍNAS PLASMÁTICAS SOBRE A SUPERFÍCIE DE MICELAS E VESÍCULAS POLIMÉRICAS


PÁGINAS: 70
RESUMO:

O desenvolvimento de nanocarregadores de agentes ativos geralmente necessita que estas entidades nanométricas tenham propriedades especiais tais como a biocompatibilidade e a estabilidade durante circulação no fluxo sanguíneo. Neste contexto, nanopartículas poliméricas (NPs) de elevada estabilidade em ambiente salino foram fabricadas a partir da auto-organização de uma variedade de copolímeros em bloco anfifílicos: PEO105-b-PLA236, PEO45-b-PLA174 e PHPMA35-b-PDPA42. Utilizando-se os protocolos de nanoprecipitação, reidratação de filmes finos (thin film re hydratation) e inversão de fase, foram obtidos sistemas poliméricos nanoestruturados com tamanhos variados na região 90-160 nm (vesículas) e de 30-60 nm (micelas). A estabilidade coloidal é resultado da presença de superfícies negativamente carregadas, bem como efeitos estéricos. As estruturas auto-organizadas foram detalhadamente caracterizadas utilizando-se técnicas de espalhamento de luz e microscopia eletrônica de transmissão. Na sequencia, foi investigado o comportamento dos sistemas poliméricos nanoestruturados em ambientes contendo proteínas modelo (BSA, lisozima e IgG). Os resultados experimentais mostraram que micelas e vesículas produzidas a partir de PHPMA35-b-PDPA42 são resistentes à adsorção proteica uma vez que a dimensão dos sistemas não é influenciada pela presença de biomacromoléculas no ambiente. Este fator deve estar relacionado ao caráter altamente hidrofílico do PHPMA que promove a formação de espessas camadas de solvatação na superfície das entidades evitando assim adsorção de proteínas. Por outro lado, sistemas fabricados a partir de PEO45-b-PLA174 são os mais suscetíveis à adsorção proteica. Os resultados mostram ainda que o fenômeno de adsorção proteica sobre a superfície de sistemas poliméricos nanoestruturados em solução é influenciado de maneira relevante pela espessura da coroa hidrofílica estabilizante, entretanto, a morfologia do agregado não parece exercer efeito proeminente. A adsorção proteica possui um perfil termodinâmico complexo onde processos endotérmicos e exotérmicos ocorrem simultaneamente. Por outro lado, os dados de espectroscopia de dicroísmo circular sugerem que a adsorção não altera a conformação das biomacromoléculas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - Interno ao Programa - 1763495 - WANIUS JOSE GARCIA DA SILVA
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - LEANDRO RAMOS SOUZA BARBOSA - USP
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - ALEXSANDRA CONCEIÇÃO APOLINÁRIO
Membro Suplente - Examinador(a) Interno ao Programa - 936.965.820-34 - MATEUS BORBA CARDOSO - NENHUMA
Membro Suplente - Examinador(a) Interno ao Programa - 1762438 - JEAN JACQUES BONVENT
Membro Suplente - Examinador(a) Externo à Instituição - CECILIA ZORZI BUENO
Notícia cadastrada em: 16/12/2019 11:06
SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa-2.ufabc.int.br.sigaa-2