PPGBTC PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOCIÊNCIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/ppgbtc

Banca de DEFESA: CARIN CRISTINA DA SILVA BATISTA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CARIN CRISTINA DA SILVA BATISTA
DATA : 30/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Remota - https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/fernando-195
TÍTULO:

Coroas Biomoleculares sobre Nanopartículas de Prata Estabilizadas por Polímeros: Análise Estrutural e Consequências Biológicas


PÁGINAS: 117
RESUMO:

O presente trabalho teve como objetivo a síntese de nanopartículas de prata (AgNPs) estabilizadas por diferentes polímeros, investigações relacionadas a formação de coroas proteicas sobre a superfície dos nanocoloides, e a avaliação da citotoxidade e potencial biotecnológico na presença e ausência das coberturas biomoleculares. Quando AgNPs encontram-se em ambientes biológicos, inevitavelmente elas são recobertas por proteínas, formando a denominada coroa proteica. Uma vez que esse fenômeno muda a identidade das nanopartículas, é importante entender como o processo ocorre e sua relevância em que pese às aplicações dos nanomateriais produzidos. Neste contexto, fabricou-se AgNPs estabilizadas por polímeros de diferente natureza química (PEI, PVP e PEO-b-P2VP). Foram produzidas nanopartículas esféricas de diferentes tamanhos dependo do método de manufatura (método manual ou por meio de microfluídica). A carga superficial dos nanocoloides se demonstrou dependente da natureza química do agente estabilizante. Avaliou-se na sequência a influência das características superficiais em que pese as interações com proteínas modelo (BSA, IgG e Lisozima). Os resultados experimentais mostraram evidentes interações de BSA com AgNPs@PEI. Por outro lado, AgNPs@PVP e AgNPs@PEO-b-P2VP apresentam características de repulsão proteica na região de concentração investigada. Não obstante, em ambiente contendo soro fetal bovino (FBS), os resultados experimentais sugerem a presença e coroas biomoleculares, independentemente das características superficiais. A identificação das proteínas formadoras das coroas mostrou predominantemente a presença de BSA e proteínas do sistema complemento. A quantidade de proteína adsorvida depende das características químicas do polímero estabilizante. Analisou-se por fim o impacto das coroas proteicas na citotoxicidade e efeito antimicrobiano, e demonstrou-se que a presença das camadas biomoleculares reduz a citotoxicidade, mas não tem influência marcante na atividade antimicrobiana dos nanomateriais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - Interno ao Programa - 1768959 - FERNANDO CARLOS GIACOMELLI
Membro Titular - Examinador(a) Interno ao Programa - 1762438 - JEAN JACQUES BONVENT
Membro Titular - Examinador(a) Externo ao Programa - 315.734.338-61 - ARYANE TOFANELLO DE SOUZA - UFABC
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - KARINE PANICO - UFABC
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - OMAR MERTINS - UNIFESP
Membro Suplente - Examinador(a) Interno ao Programa - 1941387 - FERNANDA DIAS DA SILVA
Membro Suplente - Examinador(a) Externo à Instituição - ISMAEL CASAGRANDE BELLETTINI - UFSC
Notícia cadastrada em: 13/07/2022 09:09
SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa-1.ufabc.int.br.sigaa-1-prod