PPGEPM PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA POLÍTICA MUNDIAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/ppgepm/

Banca de DEFESA: JOÃO PAULO SILVA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOÃO PAULO SILVA DE OLIVEIRA
DATA : 15/07/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Banca virtual
TÍTULO:

Teoria e prática do protecionismo: uma análise das medidas adotadas no período 1990-2018 na cadeia do setor automotivo brasileiro.


PÁGINAS: 216
RESUMO:

Essa dissertação tem como objetivos sistematizar as medidas protecionistas que o Brasil adotou
em favor da cadeia do setor automotivo, de 1990 até 2019; definir quais foram os efeitos destas
medidas sobre o setor e; verificar se os resultados práticos do protecionismo convergem com
os esperados pelas teorias que o defendem. Para isso, iniciamos revisando as definições
presentes na teoria econômica acerca do protecionismo. Em seguida, descrevemos as medidas
protetivas que o país utilizou em favor da cadeia do setor automotivo, desde 1990 até 2019,
sistematizando os argumentos/justificativas utilizados para embasar a utilização de políticas de
natureza protecionistas. Também foram indicados os impactos destas medidas protetivas na
cadeia automotiva brasileira. A hipótese inicial deste trabalho era a de que, mesmo tendo sido
beneficiada por medidas protetivas, apesar e simultaneamente à abertura comercial, a cadeia
automotiva brasileira não aumentou a sua competitividade a ponto de perder a dependência de
medidas de apoio governamental. A recorrente utilização de subsídios e proteção à cadeia do
setor automotivo, em especial às montadoras, contribuiu para a verificação da hipótese inicial;
sendo que a proteção ao setor automotivo, durante o período estudado, pode ser considerada
uma proteção seletiva, principalmente pelo poder de lobby das montadoras. Conclui-se que o
protecionismo aplicado não trouxe os resultados esperados para a cadeia automotiva brasileira,
principalmente por dois motivos. O primeiro é pela forma em que essa proteção se deu: muitas
vezes sem contrapartidas e em períodos de crise, sem uma visão estratégica de longo-prazo. O
segundo, que é tão importante quanto o primeiro, é que, de forma paradoxal, parte das empresas
protegidas do setor automotivo, no limite, fazem parte do sujeito contra a qual a proteção é
necessária, uma vez que o setor automotivo é caracterizado pela dominância de companhias
multinacionais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - Interno ao Programa - 2187294 - VALTER VENTURA DA ROCHA POMAR
Membro Titular - Examinador(a) Interno ao Programa - 2081225 - FERNANDA GRAZIELLA CARDOSO
Membro Titular - Examinador(a) Externo ao Programa - 1543679 - DARLENE RAMOS DIAS
Membro Suplente - Examinador(a) Interno ao Programa - 2072337 - CRISTINA FROES DE BORJA REIS
Membro Suplente - Examinador(a) Externo ao Programa - 344365 - RAMON VICENTE GARCIA FERNANDEZ
Notícia cadastrada em: 17/06/2020 14:36
SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa-2.sigaa-2