PPGEPM PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA POLÍTICA MUNDIAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/ppgepm/
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações Sucupira/CAPES. Preencha os campos desejados para fazer a busca.

2020
Dissertações
1
  • SARA APARECIDA DE PAULA
  • Deslocamentos Populacionais sob a Perspectiva da Demografia Ambiental no Antropoceno

  • Orientador : LEONARDO FREIRE DE MELLO
  • Data: 22/04/2020

  • Mostrar Resumo
  • O planeta Terra está passando por um processo profundo de transformação, seja em escala como em intensidade. A magnitude é tão ampla, que autores sugerem que o planeta teria deixado a era geológica do Holoceno para uma nova era, o Antropoceno. Este trabalho não traz uma discussão geológica sobre o planeta, mas sim uma caracterização social do Antropoceno, ou seja, um conceito que simboliza as mudanças ambientais em escala global e impulsionadas pelas atividades do sistema humano. O sistema humano é composto por processos como a urbanização, a industrialização, a produção de energia através de combustíveis fósseis, agricultura de larga escala; e atividades como essas impulsionam grandes mudanças na sociedade. O Antropoceno sugere que o modo de vida humano é capaz de transformar as dinâmicas biogeoquímicas do planeta em uma escala nunca antes vista; por outro lado, essas transformações também provocam consequências no sistema humano, sob o formato dos desequilíbrios climáticos (inundações, secas, furacões, tempestades), por exemplo. Uma questão bastante proeminente é a desigualdade, porque apesar das mudanças ocorrerem em todos os lugares (diferindo em frequência e intensidade), o impacto delas não ocorrem de maneira homogênea; pelo contrário, afetam mais certos grupos específicos, como aqueles mais vulneráveis, tanto em conceito físico, como econômico e social. Não obstante, um dos principais desafios contemporâneos diz respeito ao deslocamento forçado de pessoas em decorrência dessas mudanças e desequilíbrios da dinâmica do planeta, fazendo que o número de deslocados ambientais seja praticamente três vezes maior do que o de deslocados por conflitos e violência. Assim, este trabalho se constroi de duas formas: uma teórica e outra mais empírica. Na primeira parte, o objetivo é fazer uma construção teórica do Antropoceno e da Demografia Ambiental a fim de caracterizar os deslocamentos, ou seja, entender os grupos mais vulneráveis, por que a mobilidade tem sido a dinâmica central na contemporaneidade e como os processos político-econômicos da sociedade humana interferem nessas dinâmicas. A terceira parte, que é empírica, foi construída através de uma sistematização de dados sobres os deslocados ambientais em espaço interno, isto é, dentro da fronteira territorial do espaço nacional, a partir dessas formulações iniciais, foram trazidos alguns exemplos como o da Síria, Bangladesh, Somália e Nigéria, a fim de compreender como teoria e empiria se completam e auxiliam no entendimento da questão proposta nesta dissertação.


  • Mostrar Abstract
  • O planeta Terra está passando por um processo profundo de transformação, seja em escala como em intensidade. A magnitude é tão ampla, que autores sugerem que o planeta teria deixado a era geológica do Holoceno para uma nova era, o Antropoceno. Este trabalho não traz uma discussão geológica sobre o planeta, mas sim uma caracterização social do Antropoceno, ou seja, um conceito que simboliza as mudanças ambientais em escala global e impulsionadas pelas atividades do sistema humano. O sistema humano é composto por processos como a urbanização, a industrialização, a produção de energia através de combustíveis fósseis, agricultura de larga escala; e atividades como essas impulsionam grandes mudanças na sociedade. O Antropoceno sugere que o modo de vida humano é capaz de transformar as dinâmicas biogeoquímicas do planeta em uma escala nunca antes vista; por outro lado, essas transformações também provocam consequências no sistema humano, sob o formato dos desequilíbrios climáticos (inundações, secas, furacões, tempestades), por exemplo. Uma questão bastante proeminente é a desigualdade, porque apesar das mudanças ocorrerem em todos os lugares (diferindo em frequência e intensidade), o impacto delas não ocorrem de maneira homogênea; pelo contrário, afetam mais certos grupos específicos, como aqueles mais vulneráveis, tanto em conceito físico, como econômico e social. Não obstante, um dos principais desafios contemporâneos diz respeito ao deslocamento forçado de pessoas em decorrência dessas mudanças e desequilíbrios da dinâmica do planeta, fazendo que o número de deslocados ambientais seja praticamente três vezes maior do que o de deslocados por conflitos e violência. Assim, este trabalho se constroi de duas formas: uma teórica e outra mais empírica. Na primeira parte, o objetivo é fazer uma construção teórica do Antropoceno e da Demografia Ambiental a fim de caracterizar os deslocamentos, ou seja, entender os grupos mais vulneráveis, por que a mobilidade tem sido a dinâmica central na contemporaneidade e como os processos político-econômicos da sociedade humana interferem nessas dinâmicas. A terceira parte, que é empírica, foi construída através de uma sistematização de dados sobres os deslocados ambientais em espaço interno, isto é, dentro da fronteira territorial do espaço nacional, a partir dessas formulações iniciais, foram trazidos alguns exemplos como o da Síria, Bangladesh, Somália e Nigéria, a fim de compreender como teoria e empiria se completam e auxiliam no entendimento da questão proposta nesta dissertação.

2
  • GUILHERME AFONSO GOMES DOS SANTOS
  • China: socialismo de mercado, desenvolvimento nacional e sua inserção internacional

  • Orientador : VALTER VENTURA DA ROCHA POMAR
  • Data: 26/06/2020

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo de mestrado propõe-se a avaliar o processohistórico de crescimento e desenvolvimento socioeconômico da China, desde a Revolução de 1949, passando pelas Reformas de 1978/1979 empreendidas até o contexto da inserção do país no sistema internacional atualO recorte cronológico estará centrado no contexto do pós II Guerra Mundial até a atualidade. O impulso de desenvolvimento econômico, de caráter socialista e autônomo e da construção do moderno Estado Chinês, no contexto internacional da Guerra Fria e pós-Revolução Chinesa, durante o período compreendido entre as décadas de 1950 e fins da década de 1970 e as reformas e aberturas aos capitais internacionais e à inserção da China mais massivamente no sistema internacional, hegemonizado pelo modo de produção capitalista, após as reformas estabelecidas no início dos anos 1980são variáveis-chave para o entendimento do conceito de socialismo de mercado” adotado pela burocracia e oficialidade estatal chinesa até os dias atuais. Uma avaliação das políticas econômicas adotadas pelo Estado chinês e do desempenho econômico e social desta nação obtidos no período, além de se debater o caráter e a complexidade do modo de produção que a China adota é fundamental para que se busque entender esse país, que pelas suas dimensões populacionais, territoriais e econômicas e por sua liderança na produção industrial global, é tão relevante para os diversos campos de estudo da Economia Política Mundial.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo de mestrado propõe-se a avaliar o processohistórico de crescimento e desenvolvimento socioeconômico da China, desde a Revolução de 1949, passando pelas Reformas de 1978/1979 empreendidas até o contexto da inserção do país no sistema internacional atualO recorte cronológico estará centrado no contexto do pós II Guerra Mundial até a atualidade. O impulso de desenvolvimento econômico, de caráter socialista e autônomo e da construção do moderno Estado Chinês, no contexto internacional da Guerra Fria e pós-Revolução Chinesa, durante o período compreendido entre as décadas de 1950 e fins da década de 1970 e as reformas e aberturas aos capitais internacionais e à inserção da China mais massivamente no sistema internacional, hegemonizado pelo modo de produção capitalista, após as reformas estabelecidas no início dos anos 1980são variáveis-chave para o entendimento do conceito de socialismo de mercado” adotado pela burocracia e oficialidade estatal chinesa até os dias atuais. Uma avaliação das políticas econômicas adotadas pelo Estado chinês e do desempenho econômico e social desta nação obtidos no período, além de se debater o caráter e a complexidade do modo de produção que a China adota é fundamental para que se busque entender esse país, que pelas suas dimensões populacionais, territoriais e econômicas e por sua liderança na produção industrial global, é tão relevante para os diversos campos de estudo da Economia Política Mundial.

3
  • JOÃO PAULO SILVA DE OLIVEIRA
  • Teoria e prática do protecionismo: uma análise das medidas adotadas no período 1990-2019 na cadeia do setor automotivo brasileiro

  • Orientador : VALTER VENTURA DA ROCHA POMAR
  • Data: 15/07/2020

  • Mostrar Resumo
  • Essa dissertação tem como objetivos sistematizar as medidas protecionistas que o Brasil adotou
    em favor da cadeia do setor automotivo, de 1990 até 2019; definir quais foram os efeitos destas
    medidas sobre o setor e; verificar se os resultados práticos do protecionismo convergem com
    os esperados pelas teorias que o defendem. Para isso, iniciamos revisando as definições
    presentes na teoria econômica acerca do protecionismo. Em seguida, descrevemos as medidas
    protetivas que o país utilizou em favor da cadeia do setor automotivo, desde 1990 até 2019,
    sistematizando os argumentos/justificativas utilizados para embasar a utilização de políticas de
    natureza protecionistas. Também foram indicados os impactos destas medidas protetivas na
    cadeia automotiva brasileira. A hipótese inicial deste trabalho era a de que, mesmo tendo sido
    beneficiada por medidas protetivas, apesar e simultaneamente à abertura comercial, a cadeia
    automotiva brasileira não aumentou a sua competitividade a ponto de perder a dependência de
    medidas de apoio governamental. A recorrente utilização de subsídios e proteção à cadeia do
    setor automotivo, em especial às montadoras, contribuiu para a verificação da hipótese inicial;
    sendo que a proteção ao setor automotivo, durante o período estudado, pode ser considerada
    uma proteção seletiva, principalmente pelo poder de lobby das montadoras. Conclui-se que o
    protecionismo aplicado não trouxe os resultados esperados para a cadeia automotiva brasileira,
    principalmente por dois motivos. O primeiro é pela forma em que essa proteção se deu: muitas
    vezes sem contrapartidas e em períodos de crise, sem uma visão estratégica de longo-prazo. O
    segundo, que é tão importante quanto o primeiro, é que, de forma paradoxal, parte das empresas
    protegidas do setor automotivo, no limite, fazem parte do sujeito contra a qual a proteção é
    necessária, uma vez que o setor automotivo é caracterizado pela dominância de companhias
    multinacionais.


  • Mostrar Abstract
  • Essa dissertação tem como objetivos sistematizar as medidas protecionistas que o Brasil adotou
    em favor da cadeia do setor automotivo, de 1990 até 2019; definir quais foram os efeitos destas
    medidas sobre o setor e; verificar se os resultados práticos do protecionismo convergem com
    os esperados pelas teorias que o defendem. Para isso, iniciamos revisando as definições
    presentes na teoria econômica acerca do protecionismo. Em seguida, descrevemos as medidas
    protetivas que o país utilizou em favor da cadeia do setor automotivo, desde 1990 até 2019,
    sistematizando os argumentos/justificativas utilizados para embasar a utilização de políticas de
    natureza protecionistas. Também foram indicados os impactos destas medidas protetivas na
    cadeia automotiva brasileira. A hipótese inicial deste trabalho era a de que, mesmo tendo sido
    beneficiada por medidas protetivas, apesar e simultaneamente à abertura comercial, a cadeia
    automotiva brasileira não aumentou a sua competitividade a ponto de perder a dependência de
    medidas de apoio governamental. A recorrente utilização de subsídios e proteção à cadeia do
    setor automotivo, em especial às montadoras, contribuiu para a verificação da hipótese inicial;
    sendo que a proteção ao setor automotivo, durante o período estudado, pode ser considerada
    uma proteção seletiva, principalmente pelo poder de lobby das montadoras. Conclui-se que o
    protecionismo aplicado não trouxe os resultados esperados para a cadeia automotiva brasileira,
    principalmente por dois motivos. O primeiro é pela forma em que essa proteção se deu: muitas
    vezes sem contrapartidas e em períodos de crise, sem uma visão estratégica de longo-prazo. O
    segundo, que é tão importante quanto o primeiro, é que, de forma paradoxal, parte das empresas
    protegidas do setor automotivo, no limite, fazem parte do sujeito contra a qual a proteção é
    necessária, uma vez que o setor automotivo é caracterizado pela dominância de companhias
    multinacionais.

4
  • LUCCAS BERNACCHIO GISSONI
  • Modos de produção na história do Brasil: uma contribuição a partir da teoria marxista do direito

  • Orientador : DEMETRIO GASPARI CIRNE DE TOLEDO
  • Data: 17/08/2020

  • Mostrar Resumo
  • RESUMO: Este trabalho visa contribuir com o debate acerca dos modos de produção na história do Brasil, no seio do qual três teses têm sido formadas: aquelas dos modos de produção feudal, capitalista e escravista colonial. A partir de uma escola marxista da teoria jurídica, espera-se que a cristalização do direito como forma de regulação social acompanha historicamente o surgimento do capitalismo. Deste modo, buscaram-se, nas fontes arquivísticas, evidências do surgimento da forma jurídica, o que pode ser considerado um indício, num ou noutro momento histórico, do surgimento do capitalismo. Como a tese escravista colonial prevê uma revolução burguesa brasileira durante o ciclo abolicionista do século XIX, e a tese capitalista uma durante o ciclo desenvolvimentista do século XX, ao passo que a tese capitalista não prevê rupturas revolucionárias revolucionárias, pode-se contribuir com o debate descrito utilizando-se do momento em que a forma jurídica começa a aparecer nas fontes.


  • Mostrar Abstract
  • RESUMO: Este trabalho visa contribuir com o debate acerca dos modos de produção na história do Brasil, no seio do qual três teses têm sido formadas: aquelas dos modos de produção feudal, capitalista e escravista colonial. A partir de uma escola marxista da teoria jurídica, espera-se que a cristalização do direito como forma de regulação social acompanha historicamente o surgimento do capitalismo. Deste modo, buscaram-se, nas fontes arquivísticas, evidências do surgimento da forma jurídica, o que pode ser considerado um indício, num ou noutro momento histórico, do surgimento do capitalismo. Como a tese escravista colonial prevê uma revolução burguesa brasileira durante o ciclo abolicionista do século XIX, e a tese capitalista uma durante o ciclo desenvolvimentista do século XX, ao passo que a tese capitalista não prevê rupturas revolucionárias revolucionárias, pode-se contribuir com o debate descrito utilizando-se do momento em que a forma jurídica começa a aparecer nas fontes.

5
  • FELIPE TREVISAN JÜRGENSEN
  • Cadeias Globais de Valor e Complexidade no setor de Dados e Telecomunicação na China

  • Orientador : LEONARDO FREIRE DE MELLO
  • Data: 28/08/2020

  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação busca transcorrer sobre o conjunto de fatores que que propiciaram desenvolvimento econômico e  principalmente tecnológico na China. Toma como foco o setor de dados e telecomunicações da China, em específico versa sobre a tecnologia 5G. Para tal, a dissertação busca transcorrer o caminho de desenvolvimento a partir de duas teorias correlatas a das Cadeias Globais de Valor e da Complexidade Econômica. O intuito é mensurar a extensão da indústria de dados e telecomunicações chinesa e entender como se tornou protagonista em um mercado altamente competitivo e tecnológico em um período curto de tempo. Para tal, além da metodologia de ambas teorias, utiliza-se de uma análise histórica pontual ressaltando feitos que possam ter contribuído no nascimento e desenvolvimento desse ramo da indústria, logo o período abordado se localiza após a entrada do Partido Comunista Chinês (PCC) no poder (1949), contemplando às reformas econômicas e sociais de Mao Tsé-Tung, as quais proveram suporte fundamental para atuação pragmática e moderna de Deng Xiaoping e suas políticas econômicas comumente classificada como “abertura comercial”. Adicionalmente esse trabalho propõe para além da análise setorial, contrapor  teses de que o desenvolvimento econômico e aprimoramento tecnológico complexo teriam origem da adequação comercial em variantes modernas de modelos Ricardianos e/ou da guinada da China a uma proxy do modo de produção capitalista ocidental, como é postulado teóricos ocidentais neoclássicos.


  • Mostrar Abstract
  • A presente dissertação busca transcorrer sobre o conjunto de fatores que que propiciaram desenvolvimento econômico e  principalmente tecnológico na China. Toma como foco o setor de dados e telecomunicações da China, em específico versa sobre a tecnologia 5G. Para tal, a dissertação busca transcorrer o caminho de desenvolvimento a partir de duas teorias correlatas a das Cadeias Globais de Valor e da Complexidade Econômica. O intuito é mensurar a extensão da indústria de dados e telecomunicações chinesa e entender como se tornou protagonista em um mercado altamente competitivo e tecnológico em um período curto de tempo. Para tal, além da metodologia de ambas teorias, utiliza-se de uma análise histórica pontual ressaltando feitos que possam ter contribuído no nascimento e desenvolvimento desse ramo da indústria, logo o período abordado se localiza após a entrada do Partido Comunista Chinês (PCC) no poder (1949), contemplando às reformas econômicas e sociais de Mao Tsé-Tung, as quais proveram suporte fundamental para atuação pragmática e moderna de Deng Xiaoping e suas políticas econômicas comumente classificada como “abertura comercial”. Adicionalmente esse trabalho propõe para além da análise setorial, contrapor  teses de que o desenvolvimento econômico e aprimoramento tecnológico complexo teriam origem da adequação comercial em variantes modernas de modelos Ricardianos e/ou da guinada da China a uma proxy do modo de produção capitalista ocidental, como é postulado teóricos ocidentais neoclássicos.

6
  • JÚLIO CAMBANCO
  • Ajuste estrutural e a segurança alimentar e nutricional: o caso da Guiné-Bissau

  • Orientador : PARIS YEROS
  • Data: 31/08/2020

  • Mostrar Resumo
  • A década de 1980 serve do período em que muitos países em África implementaram o Programa de Ajuste Estrutural (PAE), desenhado e conduzido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial (BM). Esses ajustes estruturais visavam a integração das economias dos países em desenvolvimento na globalização neoliberal. Essa pesquisa tem como objetivo evidenciar as transformações decorrentes do PAE no setor agrícola da Guiné-Bissau, com destaque à expansão do cultivo de castanha de caju, seu principal produto de exportação no mercado internacional como commodity, e às consequências para a segurança alimentar. Esta pesquisa foi orientada pela hipótese que a implementação de políticas neoliberais, conduziu a sérias instabilidades, inseguranças e limites para as políticas sociais, especificamente da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) para a Guiné-Bissau. A análise conduzida mostrou que após a implementação do PAE na Guiné-Bissau, permitiu abertura do mercado, desregulamentação demasiado rápido do papel do Estado na economia, e expansão da produção da castanha de caju. A dependência econômica da exportação da castanha de caju expõe o principal meio de subsistência, associado para impulsionar a resiliência da economia, assim como da Segurança Alimentar e Nutricional. O estudo fornece informações sobre a prática de ajustes estruturais, destacando o papel da reestruturação da economia, conduzidas pelas instituições de Bretton Woods, e a situação da segurança alimentar e nutricional no país, assim como a contribuição das mulheres e jovens no setor agrícola. 


  • Mostrar Abstract
  • A década de 1980 serve do período em que muitos países em África implementaram o Programa de Ajuste Estrutural (PAE), desenhado e conduzido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial (BM). Esses ajustes estruturais visavam a integração das economias dos países em desenvolvimento na globalização neoliberal. Essa pesquisa tem como objetivo evidenciar as transformações decorrentes do PAE no setor agrícola da Guiné-Bissau, com destaque à expansão do cultivo de castanha de caju, seu principal produto de exportação no mercado internacional como commodity, e às consequências para a segurança alimentar. Esta pesquisa foi orientada pela hipótese que a implementação de políticas neoliberais, conduziu a sérias instabilidades, inseguranças e limites para as políticas sociais, especificamente da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) para a Guiné-Bissau. A análise conduzida mostrou que após a implementação do PAE na Guiné-Bissau, permitiu abertura do mercado, desregulamentação demasiado rápido do papel do Estado na economia, e expansão da produção da castanha de caju. A dependência econômica da exportação da castanha de caju expõe o principal meio de subsistência, associado para impulsionar a resiliência da economia, assim como da Segurança Alimentar e Nutricional. O estudo fornece informações sobre a prática de ajustes estruturais, destacando o papel da reestruturação da economia, conduzidas pelas instituições de Bretton Woods, e a situação da segurança alimentar e nutricional no país, assim como a contribuição das mulheres e jovens no setor agrícola. 

7
  • DIMALICE GONÇALVES NUNES
  • Escalada da precariedade: os efeitos das transformações do trabalho na subjetividade das mulheres jornalistas na cidade de São Paulo

  • Orientador : MARIA CARAMEZ CARLOTTO
  • Data: 02/09/2020

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa analisa como as transformações globais da mídia chegaram ao Brasil e de que maneira elas afetam o mundo do trabalho dos jornalistas, especialmente das mulheres trabalhadoras desta área com mais de 40 anos. Pretende-se averiguar como as transformações do “negócio” jornalismo contribuem para um novo formato do mundo do trabalho do jornalista no Brasil. O crescimento da mídia digital - que por atrair receitas publicitárias mais tímidas é menos rentável que a tradicional - em detrimento da impressa e a concentração do setor de comunicação são pontos essenciais para tal investigação. Cinco famílias controlam metade dos 50 veículos com maior audiência no Brasil, numa estrutura patriarcal que se reflete no mercado de trabalho da área. Sabe-se que as mulheres são maioria nesta categoria profissional e, embora mais escolarizadas, são submetidas a posições mais precárias e a uma saída mais precoce do mercado. Porém, faltam estudos sobre quem são essas mulheres e quais as alternativas profissionais e de renda elas encontram a partir do momento em que deixam de exercer o jornalismo. Sobretudo, faltam pesquisas que investiguem a subjetividade das mulheres diante desses processos, pois se coloca relevante captar como elas, inseridas nas transformações estruturais e afetadas de maneira particular, compreendem tais mudanças. Também são objetivos desta pesquisa compreender quando e como se dá a informalidade e a saída do mercado de trabalho quando olhamos especificamente para mulheres jornalistas com mais de 40; identificar se essa saída do mercado de trabalho foi compulsória ou voluntária; investigar quais as alternativas que essas mulheres buscam para manter ou obter renda; e compreender como a expulsão precoce do mercado de trabalho atinge a identidade social dessas mulheres.


  • Mostrar Abstract
  • Esta pesquisa analisa como as transformações globais da mídia chegaram ao Brasil e de que maneira elas afetam o mundo do trabalho dos jornalistas, especialmente das mulheres trabalhadoras desta área com mais de 40 anos. Pretende-se averiguar como as transformações do “negócio” jornalismo contribuem para um novo formato do mundo do trabalho do jornalista no Brasil. O crescimento da mídia digital - que por atrair receitas publicitárias mais tímidas é menos rentável que a tradicional - em detrimento da impressa e a concentração do setor de comunicação são pontos essenciais para tal investigação. Cinco famílias controlam metade dos 50 veículos com maior audiência no Brasil, numa estrutura patriarcal que se reflete no mercado de trabalho da área. Sabe-se que as mulheres são maioria nesta categoria profissional e, embora mais escolarizadas, são submetidas a posições mais precárias e a uma saída mais precoce do mercado. Porém, faltam estudos sobre quem são essas mulheres e quais as alternativas profissionais e de renda elas encontram a partir do momento em que deixam de exercer o jornalismo. Sobretudo, faltam pesquisas que investiguem a subjetividade das mulheres diante desses processos, pois se coloca relevante captar como elas, inseridas nas transformações estruturais e afetadas de maneira particular, compreendem tais mudanças. Também são objetivos desta pesquisa compreender quando e como se dá a informalidade e a saída do mercado de trabalho quando olhamos especificamente para mulheres jornalistas com mais de 40; identificar se essa saída do mercado de trabalho foi compulsória ou voluntária; investigar quais as alternativas que essas mulheres buscam para manter ou obter renda; e compreender como a expulsão precoce do mercado de trabalho atinge a identidade social dessas mulheres.

8
  • ALEXANDRE BECKER
  • O acordo TRIPs e a conta de propriedade intelectual na Balança de Pagamentos: uma análise entensiva dos países que integram o acordo.

  • Orientador : JOSE PAULO GUEDES PINTO
  • Data: 02/10/2020

  • Mostrar Resumo
  • A sociedade pós industrial surgida após a terceira revolução industrial alterou as relações de produção e a divisão internacional do trabalho. A produção de capital conhecimento ganhou importância que veio acompanhada da necessidade de um sistema legal internacional que capaz de fazer frente a essa mudança. A expressão mais enfática dessa mudança é o acordo TRIPS, que implementou parâmetros mínimos de proteção à propriedade intelectual e incluiu mecanismos de enforcement novos. Esse estudo busca compreender qual o impacto desse acordo nas econmias nacionais através da mensuração das variações geradas por ele na balança internacional de pagamentos.


  • Mostrar Abstract
  • A sociedade pós industrial surgida após a terceira revolução industrial alterou as relações de produção e a divisão internacional do trabalho. A produção de capital conhecimento ganhou importância que veio acompanhada da necessidade de um sistema legal internacional que capaz de fazer frente a essa mudança. A expressão mais enfática dessa mudança é o acordo TRIPS, que implementou parâmetros mínimos de proteção à propriedade intelectual e incluiu mecanismos de enforcement novos. Esse estudo busca compreender qual o impacto desse acordo nas econmias nacionais através da mensuração das variações geradas por ele na balança internacional de pagamentos.

9
  • GABRIELA MENDES CHAVES
  • Trabalho reprodutivo, reservas de trabalho e a gestão da miséria no capitalismo contemporâneo: um estudo sobre os Programas de Transferência de Renda Condicionada

  • Orientador : PARIS YEROS
  • Data: 30/10/2020

  • Mostrar Resumo
  • A inclusão econômica de mulheres é um grande desafio no século XXI. O presente trabalho tem por objetivo discutir a questão das reservas de trabalho no capitalismo contemporâneo, tendo a questão da divisão sexual do trabalho reprodutivo no centro da discussão. Para tanto, pretende-se investigar a incidência dos Programas de Transferência Condicional de Renda na reprodução das reservas de trabalho, tendo raça e gênero como pilares analíticos.


  • Mostrar Abstract
  • A inclusão econômica de mulheres é um grande desafio no século XXI. O presente trabalho tem por objetivo discutir a questão das reservas de trabalho no capitalismo contemporâneo, tendo a questão da divisão sexual do trabalho reprodutivo no centro da discussão. Para tanto, pretende-se investigar a incidência dos Programas de Transferência Condicional de Renda na reprodução das reservas de trabalho, tendo raça e gênero como pilares analíticos.

10
  • RENATA DOS SANTOS BRAGA
  •  “Eu sou Atlântica”: Articulação Transnacional Afro-Latino-Americana (1988-2018)

     

  • Orientador : MURYATAN SANTANA BARBOSA
  • Data: 09/11/2020

  • Mostrar Resumo
  •  

    Na presente dissertação desenvolvo a análise da configuração e reconfiguração do ativismo transnacional afro-latino-americano, em três tempos: nos anos 1990, no processo preparatório à Conferência de Durban (2001) e no quadro da institucionalização das políticas de igualdade racial na América Latina, nos anos 2000. Para tal, busco destacar os principais atores da sociedade civil em cada um desses períodos, suas articulações entre si e as estratégias para o estabelecimento de diálogo com seus estados nacionais, bem como as principais conquistas políticas de cada período. Meu ponto de partida são as experiências de três redes: a Rede De Mulheres Afro-Latino-Americanas, Afro-Caribenhas e da Diáspora (RMAAD), Alianza Estratégica Latino América e Caribe e da Rede de Altas Autoridades para Políticas Afrodescendentes (RIAFRO). Observar a articulação transnacional afro-latino americana, nestes três períodos, e a partir destas redes, possibilitou-me captar importantes perspectivas sobre o papel da transnacionalização de movimentos sociais na institucionalização de políticas, na formação de agendas políticas e de identidades compartilhadas na região. Foram múltiplos os métodos empregados no presente trabalho, quais sejam: pesquisa documental, análise de iconografia e entrevistas semiestruturadas. Juntos, tais métodos permitiram observação multidimensional dos aspectos acima enunciados.


  • Mostrar Abstract
  •  

    Na presente dissertação desenvolvo a análise da configuração e reconfiguração do ativismo transnacional afro-latino-americano, em três tempos: nos anos 1990, no processo preparatório à Conferência de Durban (2001) e no quadro da institucionalização das políticas de igualdade racial na América Latina, nos anos 2000. Para tal, busco destacar os principais atores da sociedade civil em cada um desses períodos, suas articulações entre si e as estratégias para o estabelecimento de diálogo com seus estados nacionais, bem como as principais conquistas políticas de cada período. Meu ponto de partida são as experiências de três redes: a Rede De Mulheres Afro-Latino-Americanas, Afro-Caribenhas e da Diáspora (RMAAD), Alianza Estratégica Latino América e Caribe e da Rede de Altas Autoridades para Políticas Afrodescendentes (RIAFRO). Observar a articulação transnacional afro-latino americana, nestes três períodos, e a partir destas redes, possibilitou-me captar importantes perspectivas sobre o papel da transnacionalização de movimentos sociais na institucionalização de políticas, na formação de agendas políticas e de identidades compartilhadas na região. Foram múltiplos os métodos empregados no presente trabalho, quais sejam: pesquisa documental, análise de iconografia e entrevistas semiestruturadas. Juntos, tais métodos permitiram observação multidimensional dos aspectos acima enunciados.

SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa-1.ufabc.int.br.sigaa-1