PPGEPM PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA POLÍTICA MUNDIAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/ppgepm/

Banca de QUALIFICAÇÃO: DARIO RODRIGUES DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DARIO RODRIGUES DA SILVA
DATA : 26/11/2019
HORA: 14:00
LOCAL: sala S204, 2º andar, Bl. Alpha 2 ,Campus SBC da Fundação Universidade Federal do ABC, localizada na Al. da Universidade. s/n, B.Anchieta-S.Bernardo do Campo-SP.
TÍTULO:

Transformações na Estrutura Produtiva Industrial no Brasil: Globalização e Novo Imperialismo, 1980 a 2018 


PÁGINAS: 41
RESUMO:

Este trabalho trata da desindustrialização brasileira no período de 1980 a 2018. Propõe oferecer uma interpretação deste fenômeno por meio de uma abordagem sistêmica, que caracteriza a Economia Política crítica como campo das Ciências Sociais. Para isso recorre às dimensões histórica, econômica, política e social relacionadas às transformações que sofreu a estrutura produtiva industrial brasileira nas duas décadas finais do século XX e nas duas primeiras décadas do século XXI. O marco temporal inicial desse estudo se deu pela sua dupla significação. O início dos anos 1980 é o período em que o neoliberalismo assume o protagonismo no centro do sistema capitalista mundial, por meio dos governos Thatcher (Reino Unido) e Reagan (EUA). Neste mesmo período o Brasil sucumbiu a uma crise econômica, com o colapso de sua dívida externa, que determinou o fim do seu processo de industrialização. A partir daí a indústria brasileira passou a apresentar indicadores da perda da sua importância relativa no produto agregado da economia e na pauta de comércio do Brasil com o resto do mundo. Ao mesmo tempo neste período, o capitalismo mundial, sob o ideário neoliberal, promoveu a liberalização e a desregulamentação dos fluxos de capitais internacionais, concorrendo para uma ampla reorganização espacial da produção. Isto teve impacto sobre a posição da indústria brasileira internacionalmente. Segundo François Chesnais a dominância do capital altamente concentrado em sua forma monetária, portadora de juros, que opera nos mercados financeiros mundiais, reproduz o fetiche do dinheiro, mas é totalmente dependente da mais-valia e da produção. O imperialismo contemporâneo se expressa por meio da globalização do capital, e suas operações estabelecem um sistema hierarquizado dos Estados, que determina a inserção de cada um no sistema produtivo capitalista mundial. Esta hierarquia estaria fundada na dominância da estrutura de mercado oligopólica e na concentração do capital monetário. A proposta aqui é verificar se é possível identificar elementos da subordinação do Brasil no sistema interestatal, investigando a prevalência das formas de mercado oligopólicas, seu grau de desnacionalização, e o grau de dependência macroeconômica do Brasil em relação ao fluxo de capitais externos. Apresentaremos uma revisão sobre a discussão a respeito da  desindustrialização e detalharemos o referencial teórico sobre as novas formas do imperialismo e a globalização. Com a análise dos dados por intermédio da interação com o referencial teórico, apresentaremos novas questões, apontando o seu aprofundamento em investigações futuras.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - Interno ao Programa - 2998233 - LEDA MARIA PAULANI
Membro Titular - Examinador(a) Interno ao Programa - 2081225 - FERNANDA GRAZIELLA CARDOSO
Membro Titular - Examinador(a) Interno ao Programa - 2187291 - TATIANA BERRINGER DE ASSUMPCAO
Membro Suplente - Examinador(a) Interno ao Programa - 2211523 - DEMETRIO GASPARI CIRNE DE TOLEDO
Membro Suplente - Examinador(a) Externo ao Programa - 344365 - RAMON VICENTE GARCIA FERNANDEZ
Notícia cadastrada em: 24/10/2019 16:18
SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa-1.sigaa-1