PPGCTQ PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA NA ÁREA DE QUÍMICA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/ppgctq

Banca de QUALIFICAÇÃO: SINDY VANESA ACOSTA RODEZNO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SINDY VANESA ACOSTA RODEZNO
DATA : 19/12/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Exame remoto através da plataforma Google Meet em https://Meet.google.com/swk-zmwj-arr
TÍTULO:

Síntese e avaliação biológica de uma quimioteca de organocalcogenetos e organocalcogenuranas.


PÁGINAS: 35
RESUMO:

A química medicinal dos compostos organocalcogênicos está relacionada ao papel biológico do selênio nos organismos vivos. O selênio no aminoácido selenocisteína é incorporado a várias enzimas com funções variadas, sendo a glutationa peroxidase a mais proeminente delas. Os compostos de organoselênio e organotelúrio podem imitar a atividade antioxidante dessa selenoenzima para reduzir as espécies reativas de oxigênio (ROS). Essa reatividade é observada quando o calcogênio está na forma bivalente, com o estado de oxidação +2. Essa bioatividade aumentou o interesse por essa classe de compostos, refletida na diversidade de moléculas estudadas e relatadas na literatura nas últimas décadas do século passado.

A bioatividade em seu estado hipervalente, o estado de oxidação +4, foi explorada mais recentemente. Nessa forma, eles podem reagir contra nucleófilos e atuar como inibidores de enzimas dependentes de tióis endógenos, ou seja, proteases de cisteína. Essas enzimas são alvos terapêuticos reconhecidos em patógenos como vírus, protozoários e parasitas responsáveis por muitas doenças infecciosas. O design, síntese e avaliação antimicrobiana de novas moléculas de organoselênio e organotelúrio são o foco principal do presente trabalho.

Nosso grupo de pesquisa tem trabalhado com a síntese de inibidores de cisteína protease, encontrando algumas moléculas promissoras para a quimioterapia. Portanto, estudar uma diversidade estrutural ampliada pode nos levar a potenciais inibidores, oferecendo novas abordagens para a quimioterapia, como as Doenças Tropicais Negligenciadas (DTNs) — uma classe de doenças de particular interesse para nosso grupo.

O atual projeto está dividido em três fases: (I) síntese e caracterização, (II) avaliação biológica e (III) modificações estruturais para melhorar a bioatividade. Primeiramente, sintetizamos selenetos e teluretos pela funcionalização de benzaldeídos que foram sintetizados com grupos organocalcogenil (selênio e telúrio) e ácidos borônicos. Posteriormente, o grupo formil nas posições orto e para é funcionalizado em aminas, amidas, sulfonamidas, oximas, álcoois benzílicos e moléculas semelhantes a drogas. Mais tarde, os derivados hipervalentes, selenuranos e teluranos foram obtidos por reações de oxidação de selenetos e teluretos anteriores com peróxido de hidrogênio ou cloreto de sulfurila para dar óxidos ou dicloretos, respectivamente.

Em segundo lugar, a avaliação da atividade biológica como antimicrobianos ou antivirais. Na triagem primária, quatro moléculas contendo telúrio, SV09, SV13, SV15 e SV17, foram ativas contra bactérias Gram-negativas, ou seja, E. coli. Todos os quatro compostos, designados como hits, confirmaram a atividade em ensaios dose-resposta para determinar a Concentração Inibitória Mínima (MIC). Notável nesses ensaios, os compostos contendo selênio eram inativos. Ainda mais interessante, os compostos ativos apresentaram melhores valores de inibição contra cepas multirresistentes (MDR) com proteínas de membrana modificadas dessas bactérias. Eles também foram avaliados como antifúngicos mostrando atividade moderada a boa contra C. neoformans (SV17) e C. albicans (SV09).

Por fim, como parte da contribuição acadêmica relacionada à pandemia de COVID-19, os compostos foram avaliados em uma triagem de alto rendimento para identificar agentes antivirais de coronavírus. Uma vez que as principais proteases do SARS-CoV-2 pertencem à família das cisteína proteases e selenetos, os teluretos e teluranos demonstraram ser inibidores dessa enzima, e sugerimos a avaliação de nossos compostos sintetizados. Dentre elas, as aminas SV12 (Se) e SV13 (Te) foram identificadas com potencial atividade antiviral e toxicidade moderada para células Huh-7 coletadas de pacientes infectados. Eles também foram avaliados contra o vírus Chikungunya em um fluxo de trabalho de duas etapas. Na triagem inicial, organoselenides SV10, SV11, SV12 e organotelurida SV16 foram ativos e testados em um teste de dose-resposta. Neste ensaio confirmatório, apenas SV11 apresentou atividade potencial. Esses resultados levam ao estudo e projeto de modificações estruturais para melhorar qualquer atividade biológica apresentada.

Atualmente, a caracterização dos compostos hipervalentes orto e para-substituídos da coleção completa está em andamento. Também está em andamento o estudo das condições de reação para obtenção de propargilaminas por reações multicomponentes A3. As moléculas são enviadas para ensaios antivirais in vitro de SARS-CoV-2 e Chikungunya assim que são caracterizadas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - Interno ao Programa - 1623562 - RODRIGO LUIZ OLIVEIRA RODRIGUES CUNHA
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - SUMBAL SABA - UFG
Membro Titular - Examinador(a) Externo à Instituição - THAYSA PASCHOALIN - UNIFESP
Membro Suplente - Examinador(a) Externo à Instituição - MARCOS LEONI GAZARINI DUTRA - UNIFESP
Notícia cadastrada em: 19/12/2022 16:56
SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa-2.ufabc.int.br.sigaa-2-prod