PPGECO PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Telefone/Ramal: Não informado http://propg.ufabc.edu.br/eco

Banca de QUALIFICAÇÃO: PEDRO DE BARROS BELLA E SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PEDRO DE BARROS BELLA E SOUZA
DATA : 16/08/2019
HORA: 18:00
LOCAL: Sala S106, 1º andar, Bloco Alfa 2, Campus SBC da Fundação Universidade Federal do ABC, localizada na Alameda da Universidade, s/n, Bairro Anchieta - São Bernardo do Campo, SP.
TÍTULO:

Efeitos de histerese nas convenções sobre a taxa de juros no Brasil


PÁGINAS: 25
RESUMO:

Historicamente as taxas de juros no Brasil se encontram em um patamar elevado, isso é evidenciado principalmente ao se observar a trajetória da taxa básica de juros, a Selic.  A teoria pôs-keynesiana afirma que a precificação dos juros é feita a partir de convenções sobre o estado atual e as expectativas em relação ao futuro. Isso se da a partir da relação entre a percepção que o individuo tem sobre os dados aos quais tem acesso e sobre os quais tem um maior ou menor grau de certeza, o que constitui seu conhecimento direto sobre a realidade e as expectativas em relação ao que irá acontecer no futuro o conhecimento indireto. As convenções, crenças compartilhadas, são para Keynes parte do conhecimento direto e, portanto, parte daquilo que os agentes levam em consideração ao formar suas expectativas. Ao executar a política monetária o Banco Central atua sobre a criação de convenções que absorvam as expectativas dos agentes. A fim de analisar as convenções sobre os juros ao longo do tempo será usado o conceito de histerese, que considera que os valores atuais de uma determinada variável são em parte explicados por seus valores anteriores, isso se dá após a ocorrência de um choque exógeno que tem seus efeitos alastrados pelo tempo o que leva uma influência sobre os valores atuais decorrente de acontecimentos passados. Na situação em que há uma persistência de juros elevados o objetivo desse trabalho é que analisar, a partir de series temporais, a existência de histerese na formação das convenções por parte dos agentes que ajudaria a entender a permanência histórica de juros altistas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - Interno ao Programa - 1675686 - FABIO HENRIQUE BITTES TERRA
Membro Titular - Examinador(a) Interno ao Programa - 2206863 - PATRICIA HELENA FERNANDES CUNHA
Membro Titular - Examinador(a) Externo ao Programa - 2081225 - FERNANDA GRAZIELLA CARDOSO
Membro Suplente - Examinador(a) Interno ao Programa - 1771615 - BRUNO DE PAULA ROCHA
Notícia cadastrada em: 24/07/2019 14:04
SIGAA | UFABC - Núcleo de Tecnologia da Informação - ||||| | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa-2.ufabc.int.br."sigaa-2"